23 de dez de 2011

Bob dylan por Steve Jobs

A única vez que Steve Jobs se lembra de ter ficado mudo foi na presença de alguém, foi diante de Bob Dylan.

Dylan estava com show agendado perto de Palo Alto, Califórnia, em outubro de 2004. Como Bob Dylan sempre foi chucro, caipira e arredio, nunca foi amigo de Steve Jobs e nem fazia questão de ser, mesmo assim convidou-o para uma visita na suíte do Hotel em que estava hospedado.

Conversaram por duas horas, com Jobs visivelmente nervoso por estar diante de um herói seu. Apesar de quase cinqüenta anos de estrada, Dylan continuava com a inteligência afiada como uma navalha, aberto, honesto. Disse para Jobs que quando escrevia suas canções elas simplesmente aconteciam, nem precisava compô-las, porém nos dias atuais isto não era mais natural como quando jovem. Porém, com um ar de sarcasmo brincou - "... mas ainda consigo cantá-las".


Após o encontro, Jobs propôs um plano grandioso. A iTunes Store deveria oferecer um pacote digital de todas as canções que Dylan já havia gravado, mais de setecentas no total, ao custo de 199 dólares. A Sony, gravadora de Dylan, não concordou, alegando que o preço era baixo e degradante para um ícone, uma lenda viva da cultura americana. Dois anos depois, com nova direção na gravadora, Jobs voltou à carga e mostrou o tipo de campanha de marketing que a Apple poderia montar. Incluindo todas as canções que Dylan já gravara e exclusividade de oferecer o novo disco, Modern Times, para encomendas antes do lançamento.



O conjunto incluía 773 faixas com 42 raridades como gravações em pubs e festivais underground da década de 60. Como parte do acordo, Dylan apareceria em um anúncio de TV do iPod apresentando seu novo álbum Modern Times. No comercial, Dylan aparece de chapéu de caubói sentando em um banquinho tocando e cantando suavemente iluminado por trás enquanto uma mulher descolada com boné dançava ao som de seu iPod. O anúncio não só ajudou Dylan a conquistar um público mais jovem como o levou novamente ao topo da parada da Billboard, algo que não acontecia com Dylan desde a década de 70.

O estilo visionário de Jobs para o iTunes inverteu a fórmula da indústria da música, onde uma grande marca faz a parceria com uma grande estrela ajudando a elevar as vendas.

História narrada em sua biografia Steve Jobs por Walter Isaacson.
Assista ao vídeo.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...