11 de nov de 2010

Mãe de santo surta e põe fogo em motel em Franca (SP)

Quem acreditava que o dia de fúria da instrutora de auto-escola deFranca se resumiu à terça-feira (09/11), quando ela foi parar três vezes na delegacia de polícia após protagonizar situações absurdas, estava enganado. Como continuou em liberdade, nesta quarta-feira (10/11) ela se superou e agitou os meios policiais com três novas confusões ainda mais inacreditáveis. A diferença é que, enfim, acabou presa e terá um tempo para se acalmar até retornar às ruas. 
Os novos ataques da mulher, das iniciais L.F.P.B., de 33 anos, e que se diz mãe de santo, incluíram ameaças a uma cunhada, passeio de moto em alta velocidade com um travesti e fogo a um motel. E tudo isso nesta quarta-feira, contabilizando seis ocorrências em menos de 48 horas. 
O novo dia de fúria começou ainda no início da madrugada quando a mulher foi à casa da cunhada e armou um grande barraco. Vizinhos contaram que ela ficou um bom tempo buzinando, xingando e chutando latas na frente do imóvel. O motivo seria a recente separação do marido, que ela estaria atribuindo culpa à irmã dele. Mas a polícia foi acionada e ao avistar a viatura a acusada fugiu rapidamente. 
Não demorou muito, porém, e ela surgiu outra vez. Já era dia quando foi vista pilotando sua motocicleta em alta velocidade pelas ruas da vila São Sebastião, tendo na garupa um travesti com trajes mínimos. Acabou parada numa operação policial e estava sem os documentos do veículo. Foi advertida, mas liberada porque providenciou a documentação. 
Finalizado o passeio o dia ainda não havia terminado, então para fechar com chave de ouro a mulher se dirigiu a um motel. De imediato adquiriu vários produtos no sex shopping no estabelecimento e se trancou no quarto. Mas a calmaria não durou muito, pois algum tempo depois ela ligou para a recepção falando que ia quebrar tudo e botar fogo no motel. 
A recepcionista não acreditou muito, mas para não deixar dúvidas pediu que funcionários ficassem de olho no quarto. Foi quando eles viram que fumaça saía debaixo da porta e resolveram entrar. O fogo, que já tomava conta de parte do imóvel, foi contido e a acusada salva por pouco, sendo cobertores usados para retirá-la do local. 
Mais uma vez na delegacia, a sexta em menos de 48 horas, a mulher enfim acabou levada para a cadeia pública de Franca. Mas isso porque não tinha os R$ 350 arbitrados de fiança pelo delegado de plantão. De todo modo, além de presa, a mulher pode ter problema em relação à guarda dos filhos, de 6 e 11 anos. Eles foram localizados na casa de uma vizinha e estão sendo acompanhados pelo Conselho Tutelar. 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...